6 dicas para você superar as dívidas

Quatro em cada dez brasileiros adultos possuem contas em atraso, segundo dados da Serasa Experian. Essa triste realidade se tornou ainda mais grave no contexto do período de distanciamento social gerado pela pandemia do COVID-19. Sem renda ou emprego, muitas pessoas que planejavam pagar suas dívidas este ano, tiveram que adiar seus planos e, além disso, terão que passar por essa crise sem crédito na praça para fazer compras essenciais.

Por isso, a dica é se organizar e priorizar a quitação de dívidas e pendências financeiras assim que as coisas melhorarem. Conheça alguns bons motivos e dicas para você fazer isso.

1. Manter a saúde do corpo e das relações: Tenha tranquilidade, esse momento vai passar

Ignorar as dívidas, fingindo que não existem, gera uma tensão que se manifesta de várias maneiras, sobretudo na saúde, provocando preocupação, estresse e falta de concentração.Por isso, não adianta fugir. Abrir o jogo com a família, encarar a situação de frente e dar pequenos passos, dia após dia, são medidas importantes para organizar outras áreas da vida, mantendo o equilíbrio e a imunidade em dia.

2. Ter acesso ao crédito e manter o poder de compra

Empurrar as dívidas com a barriga esperando que elas caduquem tem suas consequências. Quando alguém deixa de pagar uma conta, tem seu nome enviado pelo credor às agências de proteção ao crédito, como Serasa e SPC.

Caso isso não seja feito, o nome do devedor entra para a lista de inadimplentes.  O entendimento do mercado é que essa pessoa não consegue honrar seus compromissos. A consequência é que ela deixa de ter acesso ao crédito, dificultando, por exemplo, alugar um imóvel ou parcelar uma compra.

3.Assumir o controle das suas finanças e entender suas escolhas

Quem sofre com o descontrole financeiro precisa fazer o básico para colocar a vida nos eixos: criar um orçamento pessoal ou familiar, que nada mais é que um registro detalhado e organizado das entradas e saídas de dinheiro. Essa ferramenta permite enxergar como para onde os recursos estão indo. Assim, conseguirá ter clareza das “torneiras que precisa fechar” para sair do ciclo do endividamento.

4. Mapear custos e ter consciência do seu padrão de vida

Depois que montar seu orçamento, chega o momento entender o que pode ser cortado para pagar as dívidas e sair da lista de inadimplentes. É importante colocar uma lupa naqueles gastos desnecessários que, muitas vezes, não enxergarmos, como pacotes de TV por assinatura com canais que ninguém assiste ou planos de celular que podem ser renegociados por um preço menor.Existem outras economias trazidas por hábitos simples, como apagar a luz de cômodos vazios ou usar a medida certa dos produtos de limpeza.

5. Procure “trocar” parcelas caras por outras mais baratas

Após organizar suas finanças e entender as prioridades de suas dívidas, busque opções para diminuir os juros e parcelas das mesmas. Existem diversas linhas de crédito no mercado que contam com juros mais baratos que o cheque especial. Um bom exemplo é o crédito consignado que possui a taxa de juros com um teto de 1,80% e até 84 meses para pagar. Optando por contratar esses empréstimos mais baratos, você começa a pagar parcelas menores e no final do contrato, você economizou um dinheiro, além é claro, de poder conseguir uma grana extra.

6.Voltar a sonhar e ficar de olho em comportamentos nocivos

Sair das dívidas é essencial para conseguir realizar sonhos e projetos de vida, como fazer um curso de idiomas, montar um negócio próprio ou proporcionar conforto e bem-estar para a família. Depois de sair das dívidas, a dica é manter-se alerta para não entrar nesse enrosco novamente. Às vezes, o simples esquecimento de uma data de pagamento pode ser o gatilho para empurrar compromissos. Com o tempo, as dívidas se acumulam e fica difícil colocar tudo nos eixos novamente.

Gostou dessas dicas?

Curta nossa página e fique por dentro de todas as dicas.

Compartilha para ajudarmos mais pessoas a saírem de suas dívidas.

Similar Posts